Além de Chernobyl: 20 incríveis cidades fantasmas que você precisa conhecer

O motivo que faz com que as pessoas morem em uma cidade podem variar muito. Desde o desenvolvimento urbano, proximidade com estradas e rotas comerciais até a capacidade de explorar certos tipos de trabalho, várias são as razões que fazem uma cidade prosperar.

Durante a história, muitas localidades prosperaram durante um tempo, mas depois acabaram caindo no esquecimento. Nesta lista, você vai conhecer 21 cidades que hoje não contam com nenhum habitante, e existem apenas para manter viva a sua história.

1. Pripyat – Ucrânia

Pripyat
Shutterstock

Pripyat é uma cidade localizada na Ucrânia, que foi completamente abandonada na ocasião do famoso desastre de Chernobyl, ocorrido em 1986. No momento do acidente nuclear, a cidade contava com uma população de quase 50 mil habitantes, mas foi completamente evacuada devido aos riscos oferecidos pela radiação. [Chernobyl: tudo o que você precisa saber sobre o maior desastre nuclear da história]

Atualmente, com uma baixa nestes níveis, a cidade cada vez mais vem recebendo turistas curiosos, que são guiados em suas visitas por diversas companhias de viagem.

2. Varosha, Famagusta – Chipre

Wikicommons

Varosha é uma área pertencente à cidade de Famagusta, no Chipre. Antes um local com bastante apelo turísticos, Varosha já recebeu a visita, por exemplo, de Elizabeth Taylor, Richard Burton e Brigitt Bardot. Fora abandonada quando os turcos invadiram o Chipre, em 1974, tomando o controle de Varosha e fazendo com que seus habitantes fugissem para outros lugares.

Atualmente, é proibido entrar nesta área do Chipre, que permanece totalmente inabitada.

3. Craco – Itália

Wikicommons

Trata-se de uma cidade extremamente antiga, que já contou com universidades, palácios e várias outras construções. Durante os anos 1600, Craco fora acometida pela peste negra, que dizimou grande parte de seus habitantes.

Os que restaram continuaram contribuindo para o progresso e resistência da cidade ao longo do ano, até que, em 1963, ela fosse totalmente evacuada por conta de um deslizamento de terra.

Atualmente o local serve como set de filmagem e ponto turístico.

4. Ordos – China

Wikicommons

Ordos é uma cidade chinesa que fora projetada para suportar uma população de até 1,3 milhão de habitantes, com condomínios, casas e prédios gigantescos. No entanto, esta população jamais se mudou para lá, por uma série de problemas envolvendo financiamentos imobiliários e outras questões.

A cidade não é totalmente abandonada, mas acredita-se que apenas 2% das construções tenham sido compradas.

5. Bodie – Califórnia/EUA

Wikicommons

Durante o século 19, Bodie foi uma cidade promissora na Califórnia, que rendia bons lucros a partir da exploração do ouro. Durante certo tempo, o local teve entre 5 mil e 7 mil habitantes. No começo do século 20, no entanto, a cidade começou a enfrentar um declínio considerável, até que fosse totalmente abandonada eventualmente.

Hoje em dia, Bodie é uma espécie de parque, que recebe muitos visitantes todos os anos. Lá, é possível caminhar entre as construções da época e a sensação é de estar em um cenário de faroeste.

6. Garnet – Montana/EUA

Wikicommons

Garnet também é uma cidade fantasma resultante da exploração do ouro, e fora habitada por cerca de mil pessoas em meados de 1898. No entanto, algumas décadas depois, quando o ouro terminou, a cidade foi completamente abandonada, e hoje também é exposta como um parque.

7. Dhanushkodi – Índia

Wikicommons

Dhanushkodi era uma pacata cidade indiana que, infelizmente, fora destruída pelo ciclone Rameswaram, em 1964, quando ventos de 280 km/h formaram ondas de mais de 7 metros de altura, causando uma destruição generalizada na cidade. Cerca de 1800 pessoas morreram na noite de 22-23 de dezembro de 1964, e pouco depois a cidade foi declarada como “imprópria para se viver”, e virou oficialmente uma cidade fantasma, que hoje está aberta à visitação do público.

8. Val-Jalbert – Canadá

Wikicommons

Val-Jalbert é uma cidade fantasma localizada no Canadá, que em seus tempos áureos serviu como moradia para milhares de trabalhadores da área da mineração, contando com mais de 70 prédios e construções. Hoje em dia, a cidade já fora totalmente abandonada, e serve também como um belo parque de visitação dentro da cidade de Quebec.

9. Great Blasket Island – Irlanda

Wikicommons

Esta ilha, pertencente à Irlanda, foi totalmente desabitada em 1953, quando o governo islandês afirmou que não tinha condições de garantir a segurança de seus moradores, visto que o local era de difícil acesso, principalmente durante climas pesados. Por isso seus moradores foram realocados em outras ilhas e cidades.

10. Döllersheim – Áustria

Wikicommons

O vilarejo de Döllersheim ficou famoso principalmente por ter sido o local onde foi registrado Alois Hitler, o pai de Adolf Hitler. A mãe de Alois, precisou viajar de Strones, outro vilarejo da região, até Döllersheim, pois não havia em Strones nenhuma capela que pudesse registrar seu filho.

Em 1938, Döllersheim foi invadida e anexada pela Alemanha Nazista, que posteriormente transformaria o vilarejo em uma base de treinamento militar, expulsando todos os moradores do local para outras cidades.

Algumas áreas de Döllersheim foram abertas para visitação a partir de 1980, mas o Exército da Áustria ainda utiliza parte do território para suas bases militares.

11. Pyramiden – Noruega

Wikicommons

Localizada no arquipélago norueguês de Svalbard, Pyramiden durante muito tempo serviu como uma cidade de mineração ocupada pela União Soviética. Em seu período de maior “sucesso”, a cidade contou com cerca de mil habitantes, mas hoje possui apenas um apelo turístico, já que quando as minas “secaram”, foram embora também os seus habitantes.

12. St. Kilda – Escócia

Wikicommons

O arquipélago de St. Kilda, na Escócia, reúne uma série de ilhas abandonadas e desabitadas, sendo a maior delas chamada de Hirta, que até 1930 possui uma população razoável.

População esta que, a partir da popularização do turismo na região, bem como a contaminação de plantações e disseminação de doenças, precisou abandonar a região. Hoje em dia, o local recebe alguns turistas curiosos, que viajam até lá para descobrir como era a vida em uma ilha há quase 100 anos.

13. Kłomino – Polônia

Wikicommons

Conhecida como Westfalenhof durante o século 20, os alemães instalara um campo de treinamento militar no local durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 1945, no entanto, Westfalenhof foi dominada pelo Exército Vermelho, e renomeada para Grodek, servindo como casa para 6000 soldados soviéticos.

Depois da queda da União Soviética, Grodek passou a se chamar Kłomino, e voltou ao poder dos poloneses. Atualmente, no entanto, são pouquíssimas pessoas que vivem lá, e a maioria dos prédios já foram invadidos e saqueados.

14. Kayaköy – Turquia

Wikicommons

Antes da queda do Império Otomano, em 1921, Kayaköy fora habitada por gregos otomanos. Depois disso, no entanto, acabou sendo desabitada e se transformando em uma cidade-museu, que recebe centenas de turistas todos os anos.

15. Jahaz Mahal – Índia

Wikicommons

Localizada em Nova Delhi, na India, Jahaz Mahal é uma respécie de resort abandonado, que era visitado por vários moradores e estrangeiros ricos, que buscavam hospedagem em seu palácio. O local não possui hoje em dia nenhum morador definitivo, mas ocasionalmente hospeda celebrações.

16. Fortaleza de Shali – Egito

Wikicommons

Esta cidade foi feita principalmente a partir da utilização de barro e tijolos, em meados do século 13. Foi uma fortaleza bastante protegida por alguns séculos, até que um período de chuva intensa, fora do normal, acabou por arruinar de forma severa a estrutura da área, que foi abandonada, obrigando seus habitantes a procurarem casas mais modernas na região.

17. Epecuén – Argentina

Wikicommons

Epecuén já serviu como um resort na Argentina, até que fosse completamente invadido pelo lago que o circunda, forçando seus habitantes a procurarem outras moradias. Com o passar dos anos, a água foi baixando e revelando a todos as ruínas da cidade, que hoje mais se parece com um cenário pós-apocalíptico.

18. Belchite – Espanha

Wikicommons

A cidade de Belchite, na Espanha, foi afetada drasticamente pelas batalhas da Guerra Civil Espanhola. A cidade foi reconstruída perto dali, mas as ruínas foram mantidas com o intuito de manter na memória dos espanhóis os horrores causados pela guerra.

19. Ilha Hashima – Japão

Wikicommons

Esta ilha japonesa era ocupada por famílias que trabalhavam com mineração. Hashima era conhecida por suas minas submarinas, que acabaram por “secar” em meados de 1970. Hoje em dia, o local é frequentado apenas por turistas.

20. Oradour-Sur-Glane – França

Wikicommons

Esta cidade foi invadida pelas tropas alemãs durante a Segunda Guerra Mundial, em um ataque que deixou pelo menos 642 pessoas mortas. Hoje em dia, o local serve como um memorial da época da guerra, com carros e edifícios preservados nas mesmas condições da época. Os visitantes são incentivados a permanecer em silêncio durante as excursões.

21. Humberstone – Chile

Wikicommons

Humberstone é considerada Patrimônio Mundial da UNESCO desde 2005. Como muitas outras desta lista, trata-se de uma cidade que antigamente era ocupada principalmente por mineradores, que acabaram saindo do local quando os recursos minerais reduziram.

Inscreva-se no canal do YouTube do Mistérios do Mundo

10 distúrbios mentais assustadores que uma pessoa pode ter

E no canal de nosso parceiro Climatologia Geográfica

Tudo o que você precisa saber sobre buracos negros

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.