10 sinais que podem apontar que você está com depressão

A depressão, como dizem os especialistas, é o mal do século, e infelizmente segue afetando cada vez mais pessoas no mundo inteiro. Em 2015, as estimativas davam conta de que aproximadamente 322 milhões de pessoas no mundo inteiro sofriam com os sintomas da depressão – um número que sofreu um crescimento de 18,4% entre 2005 e 2015. Os mesmos dados, revelados à época pela Organização Mundial da Saúde, afirmavam que no Brasil eram pelo menos 11,5 milhões de pessoas afetadas, ou 5,8% da população.

A depressão pode atingir a vida de um indivíduo de diversas maneiras, prejudicando o convívio social, profissional e muitas vezes levando a situações de total desespero. Por isso, o cuidado e a atenção a estes casos se faz extremamente necessária para evitar desfechos trágicos.

Nesta lista, você vai conferir 10 sintomas que podem demonstrar que você ou alguém que você conhece está enfrentando uma depressão:

1. Diminuição de peso e perda de apetite.

Um dos sinais mais comum em uma pessoa com quadro depressivo é a falta de apetite, que muitas vezes acaba se refletindo em uma perda de peso inesperada. A depressão faz com que o indivíduo afetado perca a alegria em praticar mesmo as atividades mais prazerosas – como comer, por exemplo. Por isso, a alimentação passa a se tornar uma “obrigação” em alguns casos, o que pode fazer com que a pessoa coma pouco e acabe emagrecendo de forma inesperada e/ou indesejada.

2. Altos níveis de irritabilidade.

Apesar de muitas vezes a depressão ser associada com um comportamento mais “quieto” e “silencioso”, a falta de paciência e o fato de se estressar facilmente e com frequência pode indicar que alguém está passando por um período de sobrecarga emocional – que se já não é resultado de um quadro depressivo, pode acabar provocando um. Normalmente a raiva e a irritabilidade são percebidas em homens que enfrentam quadros de depressão – mesmo que sem saber. Como não sabem como lidar, ou de fato não querem lidar com o problema, acabam descontando o estresse emocional em outras pessoas.

3. Sentimento de “vazio” constante.

Shutterstock

A depressão muitas vezes tem um “gatilho”, seja um acontecimento muito triste ou algum problema que desencadeia o problema. No entanto, não se pode confundir os quadros depressivos com uma tristeza profunda, já que esta segunda tende a passar com o tempo, mesmo que demore. A depressão, por outro lado, se prolonga muitas vezes por meses, mesmo que o “gatilho” aparentemente já tenha sido resolvido ou sequer tenha uma razão aparente.

Em muitos casos, os pacientes apenas relatam que se sentem com as vidas “vazias”, sem um propósito e sem uma razão para existir. Estes sentimentos podem provocar ansiedade, desesperança e levar a uma série de pensamentos e ideias ainda mais danosas à saúde emocional.

Por isso, na presença de sentimentos desta natureza, é sempre válida uma visita a um psicólogo, para que você possa se conhecer melhor e aprender a lidar com aquilo que lhe tira o prazer da vida.

4. Falta de sono.

Shutterstock

Quadros depressivos muitas vezes podem vir acompanhados por crises de insônia e outras distúrbios que afetam o sono. Por mais que as pessoas depressivas normalmente passem muito tempo na cama, tentando dormir e se “esconder” dos problemas, o sono propriamente dito costuma desaparecer. Por isso, é comum que pessoas que estão enfrentando a depressão apresentem sinais de cansaço como olheiras, sonolência durante o dia e falta de concentração e motivação.

Em alguns casos, a falta de sono pode inclusive “ativar” outros sintomas, como a irritabilidade, sobre a qual falamos anteriormente.

5. Sensação de desamparo e abandono.

Este é um dos sintomas que muitas vezes se torna um pouco complicado de ser percebido de forma “externa”. Por mais que um paciente com quadro depressivo apresente um comportamento “frio” em relação a outras pessoas, e até mesmo afaste potenciais aproximações que busquem oferecer ajuda, isso pode ser apenas um mecanismo para ocultar aquilo que realmente está lhes incomodando.

A própria pessoa com depressão muitas vezes pode ter vergonha de admitir que gostaria de receber mais atenção por parte de parentes, amigos e companheiros. Este pode ser um dos principais problemas de pacientes idosos que apresentam sintomas de depressão, já que na fase avançada de nossas vidas é quando normalmente precisamos de mais atenção e afeto.

6. Comportamentos danosos à própria saúde.

Shutterstock

Tabagismo, alcoolismo, vício em drogas e outras atividades perigosas e prejudiciais para a saúde e a para a qualidade de vida são comuns entre pessoas que estão enfrentando o fantasma da depressão. Infelizmente, a família dessas pessoas muitas vezes confunde os vícios com falta de vontade de ter uma vida melhor, ou acreditam que os pacientes vivem a vida desta forma porque querem.

Normalmente, um acompanhamento médico adequado pode ajudar a curar o mal pela raiz, ajudando-as a recuperar a qualidade de vida e abandonar os vícios.

7. Falta de vontade para fazer mesmo as atividades mais prazerosas.

Atividades que antes eram extremamente prazerosas, como esportes, compras, passeios e eventos de família podem se tornar chatas, cansativas e estressantes para quem está enfrentando um quadro depressivo. É necessário muito cuidado neste sentido, pois a situação pode se agravar caso a família comece a tentar “forçar” a pessoa a sair de casa, ou dizer coisas do tipo: “Você precisa sair mais para se animar” ou “Você precisa arrumar algo para fazer”. Lembre-se que a depressão é uma doença, uma condição que ninguém escolhe enfrentar, e que necessita de tratamento e cuidados como qualquer outra.

8. Dores pelo corpo.

A depressão, ainda que se trate de um problema emocional, frequentemente pode ter efeitos também na saúde física. Por isso, é comum que pacientes apresentem dores pelo corpo – no peito, na cabeça e nas costas, para citar alguns exemplos.

9. Pensamentos de não-pertencimento e falta de razão para existir.

Estes pensamentos costumam aparecer em algum momento durante os quadros depressivos. Nestes casos, o paciente passa a pensar que não tem mais importância na vida das pessoas que ama, e que elas não sentiriam a sua ausência.

10. Pensamentos em suicídio.

Muitas pessoas acreditam que “aqueles que falam em suicídio, dificilmente fariam algo de fato”, mas este é um grande engano. Normalmente, quem procura conversar com alguém sobre estes assuntos está buscando ajuda, alguém em quem possa confiar e para quem possa contar sobre os seus problemas. 10 coisas que você precisa saber sobre o suicídio]

É muito importante que, ao perceber alguém neste estágio da depressão, você aja com atenção e cuidado, sempre sugerindo que a pessoa procure uma ajuda especializada, mas também oferecendo seus ouvidos quando possível.

Lembre-se: A depressão é uma condição clínica séria, que precisa de atendimento e tratamento médico adequado para que possa ser tratada e curada. Não trate-a com desdém, indiferença ou ignorância. A família é muitas vezes o último recurso de pessoas que se enxergam no fundo do poço, e infelizmente em alguns casos ela costuma fechar os olhos para esses indivíduos.

Inscreva-se no canal do YouTube do Mistérios do Mundo

33 fatos que você provavelmente não sabia sobre seu corpo

E no canal de nosso parceiro Climatologia Geográfica

Tudo o que você precisa saber sobre buracos negros

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.